O Museu Abílio Barreto está onde tudo começou para a cidade de Belo Horizonte, o curral del Rei.

Image from https://www.eravirtual.org/wp-content/uploads/2014/07/mhab03.jpg
casarão estilo colonial – última construção de pé do então curral del Rei.

O local escolhido para ser o MHAB (antes Museu da Cidade de Belo Horizonte) foi a casa da antiga Fazenda do Córrego do Leitão. A casa foi construída em 1883 – e era o último edifício de pé, do antigo arraial Curral del Rei, como era chamada Belo Horizonte antes de se tornar capital, em 12 de dezembro de 1897.

Inaugurado em 1943, o Museu Histórico Abílio Barreto – MHAB, como museu municipal, se dedica à história, pesquisa, produção e difusão do conhecimento sobre Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais. Contribui também para fortalecer a noção de origem e identidade da jovem capital. O museu é perfeito para professores de história e geografia, do ensino fundamental e médio, apresentarem detalhes da sociedade, cultura e origem da cidade.

Image from https://www.eravirtual.org/wp-content/uploads/2014/07/mhab05.jpg

Infraestrutura para turismo e eventos culturais

Um vigoroso complexo anexo ao antigo casarão é espaço de café e ambiente cultural
Image from https://www.eravirtual.org/wp-content/uploads/2014/07/mhab01.jpg
Image from https://www.eravirtual.org/wp-content/uploads/2014/07/mhab02.jpg
áreas internas para café e prosa uai.

O acervo do MHAB

O bondinho

Houve um tempo em que bondinhos cruzavam as principais avenidas de Belo Horizonte. No Museu Abílio Barreto você pode conhecer de perto o equipamento. Para saber mais sobre a história dos bondinhos em BH:

Museu Histórico Abílio Barreto, um casarão dos tempos do Curral del Rei

Acervo de Objetos –  São 902 peças dispostas em 16 coleções. Entre elas, o próprio casarão oitocentista, quadros, esculturas, objetos decorativos, mobiliário, vestuário, utensílios domésticos e de uso pessoal.
Acervo Textual e Iconográfico – Compõe-se de 16.440 documentos, entre mapas, plantas e projetos arquitetônicos. Entre as raridades, está coleção de documentos da Comissão Construtora da Nova Capital, encarregada de fundar Belo Horizonte.
Acervo Fotográfico – Reúne aproximadamente 6.000 fotos, entre originais, cópias e negativos flexíveis e de vidro, organizadas em 11 coleções. São imagens obtidas a partir de 1894 e que ilustram o desenvolvimento urbano, dos costumes e das tradições de Belo Horizonte.
Acervo Bibliográfico – São cerca de 4.000 livros, periódicos, catálogos, fitas de vídeo, dissertações e recortes de jornais. Abrange, além da história de Belo Horizonte, outros temas ligados à história de Minas Gerais e do Brasil.

https://www.mg.gov.br/conteudo/conheca-minas/turismo/museu-abilio-barreto

Antes e depois do MHAB

Quem foi Abílio Barreto

Abílio Barreto – Wikipédia, a enciclopédia livre

Abílio Barreto foi um historiador e o idealizador do MHAB. Foi também seu primeiro diretor. Anteriormente o museu era chamado de Museu Histórico de Belo Horizonte. Foi em 1968 que recebeu seu nome: Museu Histórico Abílio Barreto. Abílio Barreto foi convidado a organizar o arquivo da Câmara Municipal em 1935 e passou a recolher documentos, objetos, mapas e plantas. O museu foi criado por decreto de 1941, sob a administração do então prefeito Juscelino Kubitschek.

Compartilhe